14.3.12

doses de cuidados


No peito, uma orquestra sinfônica. Talvez um bumbo num desfile 7 de Setembro. Talvez os dois juntos e misturados, tamanho alarde que se fazia. Quase que não cabia no peito.

 Parecia que queria era saltar pra fora e abraçar todomundo - o coração. Mas só naquela hora. Porque depois veio o susto. Aquele de novo. Que levou a menina pros caminhos ziguezagueantes. Que a deixava descalça no campo dos sentimentos.

Então ela acendeu um incenso. Botou Chico pra tocar, como é de costume, e desviou todos os pensamentos impuros, viajando pra bem longe do lugar que fica a torre de comando da dona tristeza.

E ficou alegre outra vez. Desse remédio ela toma uma dose por dia.


Cris Carvalho

2 comentários:

  1. Liindo! Gostei muito :)

    ResponderExcluir
  2. Faço isso também. Especificamente com o álbum "Construção".

    ResponderExcluir

'Que seja doce o que vier. Pra você, pra mim.'